Pequenas coisas cotidianas

Nem só os lindos castelos me chamaram a atenção em terras alemãs. O nosso cotidiano de viajante teve muitas curiosidades, pequenas coisas que para a mim era quase surreais e que para os cidadãos locais  eram normais.  Por exemplo, não teve jeito de achar uma plaquinha com o meu nome por lá. Nada de Patrícia! O mais próximo era Patrick! Sem chance...E de repente, no meio da busca de plaquinhas com meu nome, me deparo com uma placa escrita Marion!!! AMEI!  Claro que comprei. Ágora só falta encontrar um lugar legal para colocá-la!

 

Quando entramos no quarto do hotel em Munique nos deparamos com a tv ligada e com esta mensagem de "willkomen" na tela. Adorei isso! Outra coisa curiosa do hotel foi o "cardápio" de travesseiros. Nunca tinha visto isso antes. O hotel dispõe uns 5 tipos de travesseiros para o hóspede escolher o que mais lhe agrada. Muito chique isso! Aliás , gostei muito do Holiday Inn. Tanto o hotel de Berlim como de Munique são ótimos!

Aqui eu no Cyber café que fica no centro de Munique. Tudo muito prático. Basta colocar 2 euros na máquina , clicar no botão verde e esperar pelo papelzinho com a senha.  Em geral 2 euros rendem no mínimo 1 hora de conexão. Mas podem render mais, caso você acesse durante o período de menos movimento, pois assim o valor da hora cai. A senha vale por uma semana, pode usar quantas vezes quiser até o final dos créditos. Gostei muito deste método.

Quando eu me deparei com o teclado alemão levei um susto. Muitas teclas fora do lugar! Muito difícil escrever com este teclado diferente. Eu me atrapalhei muito. Foi bem complicado escrever aquele e-mail coletivo que enviei de lá. Ia escrevendo sem olhar para o teclado e na tela saía tudo errado! Não teve outro jeito senão escrever no melhor estilo "catando milho" !

Andei muito de metrô por lá. O serviço de transporte é bem efeciente. Mas pegar metrô lá é um pouco mais complicado do que aqui em São Paulo. Aqui passa somente uma linha de metrô por plataforma. Lá não. Podem até passar umas 5 linhas diferentes pelo mesmo lugar. Para não entrar no trem errado é essencial prestar atenção nos painéis de cada plataforma que informam qual o destino do trem e a ordem de chegada. Como o sistema de informação é bem preciso não há risco de confusões. Outra coisa diferente é que as portas dos vagões não abrem automaticamente como aqui. O passageiro que tem que abrí-las. Na foto o detalhe do botão da porta de um dos trens mais modernos. Nos antigos a porta tem uma alavanca enorme e um tanto dura. Eu não me entendi muito bem com as alavancas. As portas com botões são mais "amigáveis".

Os trens mais novos são um espetáculo! Lindos e muito confortáveis. Mas eles ainda são raros. A maioria dos trens são antigões. Percebi que colocam os trens mais novos para circularem em horários mais tranquilos. Na hora do rush são os velhões que encaram a lotação. Nos trens mais novos o sistema de som é impecável, muito bom para minha prática do idioma alemão. Aprendia a pronunciar o nome de todas as estações por que passei, menos o nome da estação do hotel : Machtlfingerstrasse !!! Tentei e tentei e nada!

Os alemães gostam muito de cachorros. Os cachorros estão em todo canto. Só são proibidos entrar em museus pelo que notei. Em restaurantes entram numa boa e andam de metrô também. Todos muito bem comportados! Em geral andam soltos , sem guia.  Duas placas sobre cães me chamaram a atenção. A primeira indicando que não era permitido o cachorro fazer necessidades no parque ( no Schloss Nymphenburg)  e a outra placa de "estacione" seu cachorro aqui ( na feira Viktualienmarkt ).

Além de cachorros, o que se vê muito pelas ruas de Berlim e Munique são bicicletas. As cidades são cheias de ciclovias que são completamente integradas com o trânsito local. A foto é de um farol de Berlim. Há também muitos lugares para estacionar as bicicletas e também bicicletas de alguel espalhadas pela cidade. Você encontra a bike encostada no poste, liga para o número pintado nela e pronto! Bike alugada, basta sair pedalando. Quando seus créditos acabarem , basta encostá-la em outro poste, onde ela ficará até o próximo alguel. Ah, as bicicletas , mesmo as particulares, ficam "soltas", sem cadeados. Não tem perigo. Ninguém vai levar a sua bike embora. Mundo tranquilo  e civilizado!

Bom, semana que vem tem mais!

 

Bom feriadão!!! :)

Residenz Museum

Eu fiquei interessada em visitar o Residenz Museum depois que vi algumas fotos em um folheto turístico de Munique. As fotos me encantaram. Na verdade são 2 museus em 1 : o Residenz, que são os cômodos do castelo e o Schatzkammer, que é a mostra do tesouro real. Além disso há o teatro, mas este está em obras e só estará aberto novamente para visitação ano que vem.

Eu visitei primeiro o Residenz. No início da visita me deparei com esta sala impressionante. O Antiquarium. Com pinturas nas paredes e no teto e bustos de personagens importantes da história antiga.

Aqui alguns detalhes desta sala. Eu gostei muito.

 

O castelo foi construído no século 17 e foi residência de vários nobres, inclusive reis e rainhas. Os cômodos são bem amplos e todos muito decorados. O lugar é bem grande também, são salas e mais salas.

Em casa sala há sempre algum mobiliário ou peça de decoração.Há muitas peças de louça expostas por lá. Sempre lindas e com detalhes impressionantes.

Gostei muito dos quartos, as camas são grandes. Como estão em quartos imensos, elas nem parecem tão grandes assim. Adorei a mesinha onde os reis assinavam os papéis e liam suas cartas.

Neste castelo há uma coleção de porcelana oriental, chinesa e japonesa. Um dos reis mandou importar muitas peças, ele era admirador do estilo oriental. Há desde pequenas estátuas até jogos de jantares. Gostei muito deste cômodo. Os lustres são maravilhosos!

Depois de visitar o Residenz fui para a parte do castelo onde fica o Schatzkammer. São cobrados ingressos separados para visitar os dois lugares, mas há a opção de comprar 2 juntos e que dá um desconto. Eu comprei com o desconto. Nesta parte do museum estão expostos o tesouro da realeza, que inclui coroas, jóias, peças de decoração e objetos de uso cotidiano, como talheres e utensílios para cuidados pessoais.

As peças são expostas em salas escuras e com uma iluminação que destaca o brilho do ouro e das pedras preciosas. Esta estátua do cavaleiro é utilizada nos cartazes de propaganda do museum. É algo maravilhoso, pena que não consegui tirar uma foto realmente boa.  Outra coisa que eu gostei muito foi a frasqueira real. Muito curioso ver o que as moças da realeza utilizavam para cuidar da beleza.

O calendário,que é relógio também, também me chamou a atenção. Acho que é o calendário mais antigo que vi até hoje.

Nem preciso dizer que passei horas e horas dentro do castelo. Por vezes achei que estava perdida lá dentro, de tão grande que é. Mas , apesar de não aparecer, a visita tem um trajeto pré-definido. Os visitantes são induzidos a seguir por único caminho. Por vezes o caminho não é bem sinalizado outras tem o segurança para impedir que a gente entre em alguma sala que esteja fechada. Muitas salas estão em obras.  Um belo passeio!

 

Minha Amiga Alemã

 

Nonona e eu com a Julieta na Shakespeareplatz

Dias antes de viajar eu abri um tópico  na comunidade Velha Guarda das Casadas com Estrangeiro , no Orkut, perguntando se havia alguma menina em Munique. Recebi assim a mensagem da Nonona dizendo que morava em Munique e que podíamos combinar de nos encontrarmos. Eu já a conhecia de "vista", mas a gente nunca tinha tido um contato mais próximo. Combinamos nosso encontro e num dia frio e chuvoso passamos a tarde toda passeando pelas ruas de Munique, sempre com a chuva como nossa fiel companheira!

Nos encontramos em Marienplatz, em frente  a prefeitura, na fonte do peixe gordo. De lá começamos nosso passeio. Andamos e conversamos muito! A foto da esquerda foi tirada em Vikualienmarkt, que é uma feira.  A outra foto é de um lindo anjo, mas não sei o nome do monumento.

Aqui novamente vou ficar devendo o nome do local. Minha "guia" não sabia e eu não consegui descobrir. É um parque bem bonito e tem alguns pédios, dentre eles um monumento aos soldados mortos na primeira e segunda guerras mundiais.

Ela me levou para conhecer uma pequena capela, a Igreja de São Jorge. Pena que não pudemos entrar, estava fechada com um portão. Foi a menor igreja alemã que conheci. Adorei a igreja.

Neste dia eu descobri que em Munique tem surfista! São os surfistas do rio Isar , que atravessa a cidade. O rio é bem caudaloso e acaba formando ondas. Mas por foto não dá para ter a sensação do que é ver isso, mas um vídeo dá! Aqui está:

Eu lembro que na época da Copa passou uma reportagem na TV sobre estes surfistas de Munique. Um esporte bem radical. O rio tem muitas pedras e tem que ser corajoso para entrar na água com o frio que fazia neste dia! Neste dia tinha uns 5 surfistas por lá.

 

Dois dias depois do passeio nos encontramos novamente, saímos para tomar cerveja com os maridos. Ela é casada com Serdar, que é turco. Ela  é de Santos ( SP) e vive em Munique há uns 6 anos. Foi muito bom conhecê-la. Fiz uma ótima amiga nesta viagem. Agora estou devendo à ela um passeio pelas ruas de São Paulo. :)   Já tenho saudades da minha amiga "alemã". Espero que logo a gente se reencontre.

 

 

Schloss Nymphenburg

Em Munique eu passei 3 dias sozinha, sem a companhia do Wally que estava em curso o dia todo. Confesso que fiquei com medo de passar estes dias sozinha em um lugar que não conhecia e nem falava o idioma local. Mas ao mesmo tempo a idéia me fascinava, pois seria a primeira vez na vida que isso aconteceria, pois sempre que viajei tinha companhia o tempo todo. Na verdade o maior medo que eu tinha era  de me perder. Eu já me perco com facilidade aqui em SP, imagine então em um lugar que não conhecia! Mas foi mais tranquilo que pensei e eu aprendi andar pela cidade de Munique. O mapa da cidade e o ótimo sistema de transporte público foram os meus grandes aliados. Aprendi a andar de metrô/trem. O problema era encontrar a ausgang ( saída) certa das estações, muitas vezes saí pela errada e não tinha noção onde estava, mas era só voltar para debaixo da terra e pronto. Encontrava a ausgang certa e já me localizava. :o)

No meu primeiro dia sozinha fiz um city tour pela cidade em um ônibus doubledeck. Eu era a única brasileira do grupo. Tinha turista de todo canto do mundo e muitos alemães. O passeio foi muito bom, pois passei praticamente por todos os pontos turísticos da cidade e assim fui vendo onde ficava o que me interessava ver,para assim voltar depois. Bom, fotografar no citytour sem chance. Eu até tentei mas as fotos saíram péssimas. Mas adorei a tour, pois me levou ao castelo que queria conhecer e que ficava longe do metrô e sem o citytour não chegaria lá sozinha.

 

Este é o  castelo de Nymphenburg construído entre os séculos 17 e 19. Ele fica em um parque e é composto de 5 castelos. Este da foto é o maior e o principal. O castelo foi construído para ser a residência de verão dos reis. Foi construído para celebrar o nascimento do filho do príncipe herdeiro da época, depois de 10 anos de casamento dos reis! Imagine o que a pobre rainha sofreu por  não engravidar!

O castelo é ricamente decorado. É ouro por todo canto. Tudo muito rebuscado, mas tudo com bom gosto. Eu me encantei. Nas salas estão dispostas peças de decoração.

Aqui a  "galeria das belezas", composta por 4 conjuntos de quadros com retratos das moças mais bonitas do reino dos idos de 1800. Estes retratos foram encomendados pelo Rei Ludwig I com a recomendação que fossem encontradas as moças mais lindas do reino, não importanto a posição social. Nos quadros estão retratadas tanto princesas como moças pobres. São lindos os retratos.

Neste parque ,em uma das casas que compõe o castelo, há o museu das carruagens. Eu fiquei deslumbrada com o que vi. Nunca tinha visto uma carruagem de verdade de perto. Foi algo especial. Notem que nesta foto há um trenó real!

Logo na entrada do museu me deparei com este carruagem enorme. Coisa de contos de fadas e filmes de princesas! Muito detalhe, muito ouro e luxo em todas as carruagens que ali estavam dispostas. São muitas! Ah, tirei foto de todas! Fiquei um tempão ali, andei pelas salas umas duas vezes.

O andar superior do museu das carruagens é dedicado às peças de porcelanas dos reis. São em sua maioria louças, conjuntos de almoço, jantar e chá. Tem muita coisa. Tudo muito delicado e bonito. Fiquei encantada. A cada sala me deparava com peças mais lindas. 

 

O parque é grande. E os castelos menores, se podemos chamar de castelos, pois são na verdade sobrados. Há um que até chamei de castelo-quitinete de tão pequeno que é! Aliás, a terceira foto desta montagem acima é a sala do castelo-quitinete. Bom, eu fiquei andando por lá umas 2 horas e em alguns momentos achei que fosse me perder nas trilhas do parque, mas sempre achava uma plaquina pelo caminho e aí o problema era escolher qual castelinho visitar primeiro. São 5 castelos , mais o museu de carruagem. Vistei  3 castelos , mais  o museu. Nesta montagem acima a primeira foto é a parte de trás do castelo principal.

Este é o Amalienburg. É um belo sobrado. Adorei a decoração dele. As paredes são excessivamente decoradas. Um espanto! Eu gostei!

Esta foi a minha única parada durante o citytour. Depois peguei o ônibus para voltar para a cidade. O ônibus do citytour passava de hora em hora em todos os pontos turísticos, dando assim a liberdade para os turistas descerem e visitarem o que quisessem. O meu passe dava direito a um dia de passeio. Mas há o passe de 2 dias. Valeu a pena. Pena que a guia , a dona Monikaaaaaaaaa ( ela falava o nome dela assim , com um monte de "as" no final), misturava alemão e inglês de uma maneira que eu não entendia nada! Chegou uma hora que desisti de tentar descobrir que lígua a mullher falava ,  fiquei curtindo a paisagem e o que entendesse era lucro.

Foi um belo dia de passeio pelas belas ruas de Munique!

Amanhã tem mais!




[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL , Sudeste , SAO PAULO , Moema , Mulher , de 26 a 35 anos , Portuguese , Spanish , Música , Arte e cultura , Filmes, ler, Internet,videogame,Orkut,

 
Visitante número: